Postagens

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Viaj(antes)


Aquelas palavras foram calculadas?
Ou apenas mal faladas?
Entraram por um ouvido
Mas não saíram pelo outro
[Antes tivessem]
Resolveram percorrer caminhos
Pois são viajantes
Talvez marcar território
Ou somente se alojar em um canto trivial
Foram ao cérebro
Brevemente
Deixando sua marca de entendimento
Compreensão 
Significado
Mas partiram logo
Para um ponto distinto
Uma localidade diversa
Foram até o sofredor
Ao coração
E por lá cravaram raízes
Fizeram morada
Abandonaram o velho hábito
Viagens?
Não mais
Aquelas palavras horrendas ficaram
Esquecidas não serão
Sedentárias tornaram-se
Só que às vezes resolvem sair
Fazer visita espaço afora
Jorram pelos olhos
Navegam em águas salgadas
Mas, lamentavelmente
Retornam ao lar

Garota de Personalidades 

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

[Resenha] Tartarugas até lá embaixo

Este foi um daqueles livros que bem no início eu já sabia que iria gostar muito. Logo no primeiro capítulo comecei a imaginar quantas vezes ainda iria reler "Tartarugas até lá embaixo". Terminei a leitura com o mesmo pensamento.
O John Green é um autor muito importante para mim [escreverei um post sobre isso em algum momento] então, começar um livro dele envolve muita expectativa. Fico feliz de não ter me decepcionado.


Título: Tartarugas até lá embaixo
Autor: John Green
Editora: Intrínseca

Aza Holmes é uma garota de dezesseis anos, que vive com a mãe em Indianápolis. Vai à escola, tem uma ótima melhor amiga. Sua vida poderia ser normal, não fosse pelas espirais de pensamentos intrusivos.

Aza tem TOC [Transtorno Obsessivo Compulsivo]. A doença é que provoca as espirais de pensamentos. Por exemplo: ela está sentada no refeitório da escola e seus amigos, Daisy e Mychal, conversavam sobre algum assunto que ela não estava acompanhando, porque sua atenção estava no sanduíche sendo digerido em seu estômago e os três trilhões de micro-organismos vivendo dentro de si.

Ela não aprendeu a lidar com sua espiral, mesmo indo às consultas com a dra. Singh e tentando seguir as técnicas que ela recomenda. Mas Aza acaba voltando a reler o artigo sobre microbioma humano e até mesmo a reabrir o corte no dedo médio, que mesmo tendo um band-aid, vem o pensamento de que o corte está infeccionado.

Ainda que presa dentro da própria cabeça, ela não está sozinha no mundo de fora. Sua melhor amiga, Daisy, é uma garota tagarela e bem humorada, que é sonhadora e muito fã de Star Wars. Interessada em ganhar uma recompensa de cem mil dólares, ela convence Aza que elas devem investigar sobre o desaparecimento do bilionário Russell Pickett. E para a sorte delas, Aza conhece [ou pelo menos conhecia] o filho dele, Davis. Tendo um ponto de partida, elas investem nessa "missão".

Amizade, dúvidas sobre amor [principalmente paterno], autocontrole, crises existenciais. É um livro intenso, ao mesmo tempo que tem uma narrativa leve.



O meu primeiro contado com o TOC foi em "Glee". Em uma série com tantos personagens e muitos outros focos, você acaba não se familiarizando com o assunto. Mas em um livro onde a doença é trabalhada e você está na mente do personagem, é tudo diferente. O conhecimento de que o próprio autor a possui, torna ainda mais real e você enxerga a complexidade da situação e como é passar por aquilo.

O meu conhecimento sobre o TOC era bem superficial. Eu pensava que era baseado na obsessão pela limpeza e higiene, mas não é exatamente isso. Sim, esses podem ser motivos de crises, mas são os pensamentos que levam a eles. A falta de controle da pessoa sobre eles; os pensamentos são seus, mas se livrar deles não é fácil. Eles tomam conta da pessoa; as espirais se afunilando, dominando a mente. Enfim, não sei muita coisa, mas acabei aprendendo um pouco. E vi o quanto é difícil.


"Qualquer um pode olhar para você, mas é muito raro encontrar quem veja o mesmo mundo que o seu."
Esta é, provavelmente, minha frase favorita do livro. Eu queria anotar cada uma das frases incríveis que há, mas sabia que teria muitas, por já ter visto algumas em resenhas no Instagram. Temendo que isso fosse atrapalhar, pois eu teria que pausar a leitura várias vezes, decidi que em algum momento irei reler e anotar os quotes. Depois disso, talvez eu faça um post com todos eles.

Sei que há a alternativa dos post-its, mas não tenho o costume de usar, e nem os tenho. Também poderia tirar fotos das páginas e guardar as frases no celular, mas ainda teria que parar de ler muitas vezes. Enfim, que fique para a próxima.



Não deixe de comentar aqui embaixo se você já leu ou pretende ler. Vou adorar saber sua opinião ou expectativa!

Bjoos
Garota de Personalidades

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Essência



Trabalho com palavras
[não profissionalmente]
Vivo com elas
E por elas
Minhas aliadas
Expressam por mim
Aquilo que não sei dizer
Aquilo que não posso descrever
Falam o que sei
E até o que não sei
São meu espelho
E refletem à mim
Meu ser
Meu interior
Essência de um frasco frágil
E quase sempre bem selado

Garota de Personalidades 

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

[Resenha] O Último Olimpiano



Este é o quinto e último volume da série Percy Jackson e os Olimpianos.
Autor: Rick Riordan
Editora: Intrínseca

O tão temido momento se aproxima: a batalha contra os titãs. Os semideuses e os deuses menores estão divididos, alguns lutam no exército de Cronos (atuando através de Luke), que se fortalece cada vez mais quando alguém se une do seu lado. Outros se aliam aos heróis, semideuses como Percy Jackson, Annabeth Chase, Charles Beckendorf, os irmãos Stoll; sátiros (como Grover) e espíritos da natureza; centauros; animais bem peculiares; e muitos outros seres.

Os heróis precisam proteger o Olimpo, ajudar os deuses e salvar tudo que eles criaram. O fim de tais resultaria em uma catástrofe e todos, até os mortais, correm perigo. Para isso, treinaram muito, ainda que seu exército esteja em desvantagem de número e suas chances pareçam mínimas. O lado inimigo se encontra forte e sedento de vingança; e muitos aliados surgem quando seus pensamentos se focam na falta de atenção e o desprezo que os deuses parecem reservar para com eles.

Percy comanda seu exército contra Cronos, que se encaminha para Manhattan, onde se localiza o Monte Olimpo. O monstro Tifão é a distração que ocupa os deuses em outro lugar, longe dos heróis e sem formas de ajudá-los.

O Senhor do Tempo, exercendo suas habilidades, apagou Nova York, e essa se encontra no meio de um caos imenso, mesmo não estando assistindo. Não deixa de correr intenso perigo.

É tudo ou nada. Os olimpianos podem ser destruídos e tudo o mais será, juntamente com eles. A Grande Profecia se encontra em tempo de realizar-se e Percy terá um papel decisivo em relação à guerra que se trava. Seu caminho foi traçado e seu destino pode não ser muito desejado.

★★★

Finalizar uma série sempre me desperta um sentimento incrível e único.
Gostei muito deste livro. A guerra, o papel de cada personagem, os vilões, foram bem trabalhados. A visita que o Percy faz no capítulo Dois me deixou feliz, pois esperava por isso a muito tempo. As revelações foram em bons momentos e os assuntos pendentes foram resolvidos de forma interessante.

Me surpreendi bastante, em vários aspectos. O passado do Luke foi um assunto que me prendeu; era muito necessário para entendermos sua história e forma de agir. 

Sem dúvidas, há muita colaboração e união entre todos. Em uma guerra, todos têm um papel significativo e marcante de alguma forma, e isso é satisfatório de se ver. 

Admirei muito certas decisões do Percy. Achei altruísta a forma como se importou com os outros antes de pensar em alguma realização pessoal. 

No primeiro livro, Percy era uma criança impulsiva. Durante a trajetória dos cinco volumes ele amadureceu e aprendeu muita coisa. Foi uma boa evolução. 

O final me trouxe sorrisos de orelha a orelha! A cena no lago foi tão maravilhosa. Acendeu um calor no coração de felicidade.

Ressaltando o que já disse: gostei muito de ter lido. É ótimo que não tenha me decepcionado com o andamento da história ou ter tido vontade de abandonar. Uma série que favoritei e recomendo muito!

Leiam Percy Jackson e virem meio-sangues como eu. Depois me contem sua experiência, ainda que seja diferente da minha. 

Para saberem minha opinião dos outros volumes, cliquem aqui 

Bjoos
Garota de Personalidades 

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

[Resenha] A Batalha do Labirinto



Quarto volume da série Percy Jackson e os Olimpianos.
Autor: Rick Riordan
Editora: Intrínseca

Percy iria começar o novo ano em uma nova escola. Era uma simples visita de orientação na Goode High School, e ele precisava causar uma boa primeira boa impressão, afinal, era o local de trabalho de seu padrasto, Paul. Mas se tratava do Percy, e com toda certeza algo aconteceria para estragar o dia.

Chegando por lá, ele avista alguém na entrada do local; alguém que não queria encontrar. Sendo assim, precisou desviar para as portas laterais. Duas líderes de torcida estavam ali e agiam de forma estranha. Percy se livrou delas por um momento e quando se reencontraram, as coisas não correm nada bem. Comparado com o que viria à frente, isso foi algo fácil.

A batalha entre o Olimpo e Cronos parece se aproximar cada vez mais. O Acampamento Meio-Sangue não é mais tão seguro agora que o Titã abre caminho para atacar e as fronteiras não se apresentam mais completamente impenetráveis. Semideuses estão mudando para o outro lado e os heróis passam por maus bocados. 

Entre meio ao grande problema, há também preocupações menores e pessoais: Grover tenta convencer o Conselho para que possa continuar sua busca, Annabeth e Clarisse trabalhando juntas em algo (o que é bem incomum); Percy guardando o segredo sobre o pai de Nico e sua falha em encontrá-lo. Um novo aliado do Acampamento surge; enigmático e misterioso. 

Para deter Luke, salvar o Acampamento e o Olimpo, Annabeth, Percy, Grover e Tyson saem em missão ao Labirinto, em busca da oficina de Dédalo. Mas o Labirinto guarda muitos perigos e surpresas desagradáveis. Será preciso passar por muitos seres e desafios, além de entender o mistério para conseguirem seguir o caminho certo. 


Nesse livro o perigo está mais próximo do que nunca. Uma guerra começa a ser travada, e é onde a situação parece se agravar, mais do que nos volumes anteriores. E isso é bem interessante. É algo que se teme desde o início, mas se espera que aconteça (mesmo sendo ruim). 
Há muitos conflitos, principalmente por estarem no labirinto, e cada compartimento reserva um. Gosto disso, pois não torna o livro monótono e sem ações.
Houve um momento surpreendente, que pensei ter deduzido a atuação de um personagem e páh, estava enganada. Me senti nocauteada!
O livro acabou em uma parte intrigante e fiquei bem curiosa, o que instigou muito a vontade pela continuação. 
Leiam e me contem.

Bjoos
Garota de Personalidades 

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Marcas



Por que?
Não me pergunte
Não me pergunto
Não há resposta

A tristeza é uma inimiga amarga
Cruel
Discreta nos motivos
Intensa na dor

Chega sorrateira
Ou com tamanha rapidez
Fica por muito tempo
Outras vezes não

Indo
Vindo
Permanecendo
Ou partindo
Sempre deixando cicatrizes
Marcas, lágrimas
Lembranças

Garota de Personalidades 

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

[Resenha] A Maldição do Titã



Terceiro volume da série "Percy Jackson e os Olimpianos"
Autor: Rick Riordan
Editora: Intrínseca

Percy é convocado por seu amigo Grover para uma missão, e junto com Annabeth e Thalia ele vai à Westover Hall. Dois novos meio-sangues foram encontrados e, como de costume, não se sabe quem é seu pai entre os deuses. Durante essa busca muita coisa vai acontecer: um monstro está à procura de Percy, uma luta é travada. Novas aliadas surgem para ajudar os semideuses: Ártemis, a deusa da caça, e suas Caçadoras (e Thalia parece não gostar disso).

No meio do conflito, Annabeth é levada pelo manticore (o monstro). Mas em meio toda essa confusão, os meio-sangues Bianca e Nico Di Angelo recebem as notícias sobre o que são, que a mitologia grega é real e as devidas apresentações são feitas. Após muitas descobertas, um convite é feito e Bianca deverá fazer uma escolha.

Com uma grande ameaça surgindo, todos rumam para o Acampamento Meio-Sangue para se manterem seguros, exceto a deusa, que irá em busca do novo grande monstro que o manticore mencionou. E durante sua procura, ela é sequestrada e uma nova profecia é anunciada referente à isso. O mais intrigante: Percy é deixado de fora.

Mas ele não vai aceitar isso, principalmente pelo fato de querer encontrar Annabeth. Ele decide fazer sua própria missão, sozinho. Mas as coisas não continuarão bem por muito tempo.

No caminho até Ártemis terá muitos empecilhos. Será preciso lidar com o monstro do qual ela buscava, e há também os mistérios envolvendo ele. Cronos, Senhor dos Titãs, por trás da volta desse ancestral, não facilita a vida de ninguém, então arquitetou um plano traiçoeiro, como de costume. O Olimpo corre grande perigo.

E como brinde, Percy descobre que terá de lidar com algo perigoso quando completar 16 anos.


Aventuras, bom humor, amizade, buscas, escolhas. O terceiro volume da série conseguiu me conquistar.
Confesso que no início a leitura não estava muito boa. Não me acostumei com os novos personagens de cara, e ficava com um pé atrás quando as coisas me levavam a acreditar que a Thalia roubaria o espaço do Percy. Mas, felizmente, isso mudou. Me acostumei com todos, e vi que era necessário a atenção pela Thalia.
Algo que gostei muito foi ver a proximidade do Percy com o mar. Isso também o aproximou dos animais marinhos e de certa forma ao seu pai. Blackjack é um pégaso muito legal, por falar nisso. Queria ele pra mim, com toda certeza!
Uma coisa que não mencionei antes e que eu fiquei muito feliz é que a cor preferida do Percy é azul, igual à minha. Queria fazer igual à mãe dele e preparar comidas azuis! [estou pensando seriamente em tentar algo assim]
O livro não decepcionou minhas expectativas e a série merece ser prosseguida com a leitura dos demais volumes.

Bjoos
Garota de Personalidades